Vereadores pedem providências em relação a escola abandonada no Petrolândia

A falta de planejamento do poder público do município foi um dos temas discutidos na reunião ordinária da Câmara Municipal de Contagem nesta terça-feira (12/06). Durante o grande expediente, o vereador Daniel do Irineu (PP) iniciou as discussões falando sobre o caso da Escola Municipal Senador Luís Carlos Prestes, no bairro Sapucaias lll, região do Petrolândia, que foi inaugurada no dia 29 de junho de 2016 e desde a data não está funcionando.

“De acordo com a gestão anterior, a unidade educacional é a maior do município com uma estrutura de quatro mil metros quadrados, conta com quadra poliesportiva, sala de informática, laboratório, biblioteca e quadra coberta”, contou Daniel. “Eu visitei o local e ele está em decadência, com objetos roubados, depredações e pichações. Além da péssima qualidade da construção que já apresenta solo cedido e irregular e infiltrações nas paredes e teto”, completou, mostrando fotos do local.

Para o vereador, o real motivo de a escola estar fechada até hoje é a falta de planejamento. “Ela foi construída no bairro Sapucaias lll, que é relativamente pequeno e não tem uma grande demanda. O que comprova a informação é que, a apenas 1,5 km de distância, a Escola José de Alencar funciona com 60% da sua capacidade, ou seja, foram construídas duas escolas em uma região que precisava apenas de uma”, explicou.

Daniel destacou que, mesmo com os problemas na construção, não pode deixar de citar as ações que estão sendo feitas no espaço, como a atuação mais ativa da Guarda Civil de Contagem. “Os guardas têm inibido a ação dos criminosos no local. E outro ponto positivo é que a quadra poliesportiva vem sendo usada pelos integrantes do Projeto Segundo Tempo”, relatou.

“Eu peço o apoio da Casa, das lideranças comunitárias, da Presidência, da Comissão de Educação e da Secretária Municipal de Educação, através do secretário Fabiano Diniz, para unirmos forças nessa batalha, porque não podemos permitir que a escola continue fechada”, finalizou Daniel do Irineu solicitando a união do Legislativo e Executivo para a resolução do problema.

Solicitação antiga

Em aparte, Jair Tropical (PCdoB) ressaltou que desde o início de seu mandato apresenta requerimentos para resolver a situação da escola. “Sugeri que a escola funcionasse em tempo integral e recentemente solicitei em conjunto com o deputado Ricardo Faria (PCdoB) que a unidade fosse transformada em escola militar”, citou. “A escola foi construída para a região do Petrolândia e não podemos deixar uma construção tão bonita se acabar, então, continuaremos lutando para que a escola funcione”, concluiu.

Os vereadores Alex Chiodi (SD) e Vinicius Faria (PCdoB) também comentaram o assunto. O primeiro disse que os vereadores vão continuar fiscalizando e acompanhando o investimento do dinheiro público. Vinicius, por sua vez, reforçou que a cobrança continuará para que espaços relevantes para Contagem, como o da escola, estejam em funcionamento.

“Parabéns aos vereadores que lutam por essa demanda. É lamentável saber que um equipamento tão importante para a nossa cidade está parado. Vamos cobrar, para que isso se resolva mais rapidamente”, concluiu o presidente da Câmara, vereador Daniel Carvalho (PV), se colocando à disposição.

* Por Xavana Horta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *