Patrimônio cultural de Contagem continua na pauta do Legislativo Municipal

Durante os debates da Reunião Plenária desta terça-feira (11/09), o presidente da Câmara Municipal de Contagem, vereador Daniel Carvalho (PV), comunicou aos vereadores que, na próxima semana, estão todos convocados para um encontro com o secretário municipal de Cultura, Esporte e Juventude, Adriano Faria, para uma reunião na Sala da Presidência – data e horário serão confirmados. O objetivo é discutir a gestão, restauração e preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade, questionamento apresentado na plenária da última semana.

Daniel Carvalho disse ainda ter recebido, nessa segunda-feira (10/09), a visita do secretário Adriano Faria, também presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Contagem  (Compac), acompanhado dos conselheiros João Flores, Thomaz Braga, Alexandra Roberta e Nélio Sanches, e de Wellington Mucuri, servidor da pasta. Eles vieram buscar o apoio dos vereadores para o cumprimento do Plano Municipal de Cultura, aprovado nesta Casa em 2015, e para o efetivo cumprimento do que determina o orçamento municipal em relação ao repasse de recursos para a área cultural da cidade.

Solicitação recorrente

Assunto muito debatido nos últimos anos, principalmente pelo presidente da Câmara, Daniel Carvalho, e pelo vereador Alex Chiodi (SD), o descaso para com o patrimônio cultural da cidade voltou à pauta do Legislativo na última semana, diante do incêndio que aconteceu no Museu Nacional no Rio de Janeiro, no dia 02 deste mês. Este vereador fez um alerta sobre os riscos em que estão expostos os espaços culturais de Contagem.

“Estamos cobrando da Fundação de Cultura e do poder Executivo há anos solução para os nossos espaços culturais que estão em ruínas. Estamos perdendo nossa história, e uma cidade que não preserva sua história não vislumbra o futuro”, destacou Chiodi.

Dentre os espaços culturais, o vereador citou o Cine Teatro Tony Vieira, fechado desde 2011 e interditado pela defesa civil há cinco anos; a Casa de Cacos, fechada desde 2005 por falta de manutenção; além do Centro Cultural do Petrolândia, a Estação Ferroviária do Bairro Bernardo Monteiro, a Capela do Bairro Bela Vista. De acordo com Chiodi, os locais estão carentes de reforma ou restauração e, por razões diversas, não têm data para reabrir.

“O incêndio no Museu Nacional ocorreu por negligência do poder público, de manutenção e liberação de verbas, então, não vamos esperar acontecer com os nossos equipamentos culturais o mesmo, porque depois não vai adiantar lamentar”, argumentou.

Na plenária daquela semana, os vereadores Daniel Carvalho, Capitão Fontes (MDB) e Arnaldo de Oliveira (PTB) se manifestaram sobre a necessidade de se cobrar soluções para a preservação do patrimônio histórico e cultural de Contagem, sugeriram envolver parceiros na questão e buscar contrapartidas das empresas que constroem no município, para investir nesses espaços, além de incluir recursos para a área no orçamento.

“É um assunto que sempre trazemos a plenário, e vamos envolver o secretário municipal de Cultura, Esporte e Juventude, e pontuar todas essas questões, para esclarecer como estão caminhando os processos para restauração e preservação desses locais, porque sempre se fala que o projeto foi aprovado, mas que o recurso ainda não foi captado. Então, vamos juntos buscar alternativas, porque não dá para esperar mais”, concluiu Daniel Carvalho.

One comment

  • Maria de Fátima

    Aqui em Contagem, muitos prédios históricos da do município estão abandonados: Casa dos Cacos,
    Estação Ferroviária do Bernardo Monteiro, Cine teatro de Contagem dentre outros….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *